Últimas Notícias


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Alemanha: suspeito de massacre pode ser ligado à extrema-direita

Autoridades analisam vídeo divulgado pelo suspeito antes do ataque




As autoridades alemãs acreditam que o suspeito de matar nove pessoas em dois bares na Alemanha tenha ligações com a extrema-direita. O massacre ocorreu em locais de Hanau, uma cidade a cerca de 25 quilômetros a leste de Frankfurt, na noite dessa quarta-feira (19).

De acordo com a Associated Press (AP), fonte ligada às investigações considerou que o ataque em cafés frequentados por cidadãos do Oriente Médio pode ter sido feito por um extremista de direita com "motivações xenófobas".

As autoridades acreditam que o possível autor dos disparos, um homem de 43 anos, voltou para casa após o tiroteio e disparou contra si próprio. Foi encontrado morto no apartamento na madrugada de hoje, junto ao corpo da mãe, de 72 anos, que teria sido vítima do filho. Segundo o ministro do Interior da região, Peter Beuth, ambos apresentavam ferimentos de bala.

Entretanto, a agência de notícias alemã DPA informou que as autoridades já estão analisando o vídeo que o suspeito divulgou na internet antes do ataque. A gravação diz respeito a uma “teoria de conspiração sobre maus-tratos a crianças nos Estados Unidos” e sua veracidade está sendo apurada.

Mortes confirmadas em massacre


O porta-voz da Procuradoria Federal em Hanau, Marcus Jung, confirmou que 11 pessoas morreram, incluindo o autor dos disparos. “Acreditamos que não há mais do que uma pessoa”, disse Jung à Associated Press.

Um porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel disse, no Twitter, que os seus pensamentos estão com a população de Hanau, onde foi cometido . “Dirigimos os pêsames às famílias afetadas”, acrescentou.

Numa fase inicial, as autoridades anunciaram que oito pessoas tinham sido mortas e que cinco ficaram feridas durante disparos com arma de fogo. Informaram ainda que um veículo de cor escura foi visto deixando o local após os primeiros disparos. Mais tarde, ocorreu um novo ataque em outro café, a cerca de um quilômetro do local do primeiro.

*Emissora pública de televisão de Portugal


Fonte: Agência Brasil

fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG