Últimas Notícias


terça-feira, 7 de abril de 2020

Goiás aguarda orientações do MS para distribuir 13 mil testes rápidos

Ministério da Saúde enviou a Goiás 13.717 testes rápidos, que serão destinados aos profissionais de saúde e segmentos essenciais, e também, para o acompanhamento específico de grupos mais vulneráveis.

Foto: Reprodução/Ministério da Saúde



07/04/2020, 13h56


O Ministério da Saúde enviou a Goiás 13.717 testes rápidos para detecção do novo coronavírus. No entanto, a pedido do próprio MS, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) deve aguardar uma nota técnica com orientações para iniciar a distribuição dos kits aos municípios.
Diante disso, a SES-GO esclarece que mais informações sobre o prazo para distribuição aos municípios e critérios para utilização dos testes devem ser solicitadas junto ao Ministério da Saúde.
Em nota, assinada pelo secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheims, explica que o MS recebeu, ao todo, 5 milhões de testes destinados aos profissionais de saúde e outros segmentos essenciais, e também, para o acompanhamento mais específico para grupos mais vulneráveis.

Segundo nota do Ministério da Saúde, testes rápidos garantem mais segurança aos profissionais de saúde

“A realização de testes de detecção da Covid-19 permite o retorno precoce e seguro dos profissionais de saúde e de segurança ao trabalho, bem como a identificação precisa das pessoas de grupos de risco que realmente apresentam a infecção, para que medidas de isolamento, acompanhamento e intervenção sejam realizadas com maior adequação temporal”, diz i texto.
Leia na íntegra do documento abaixo:
No final de 2019, após o surgimento de casos de pneumonia na cidade de Wuhan, na China, foi identificado um novo vírus do grupo dos coronavírus. Naquele momento, o micro-organismo foi provisoriamente nomeado como 2019-nCoV. Posteriormente, a Organização Mundial da Saúde – OMS definiu a nomenclatura oficial do vírus que provoca a doença Covid-19: SARS-CoV2.
No Brasil, em 22 de janeiro de 2020, é ativado o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE-Covid-19) do Ministério da Saúde (MS), com o objetivo de nortear a atuação do MS na resposta à emergência de saúde pública. Em 03 de fevereiro de 2020, o Ministério da Saúde, por meio da publicação da Portaria 188, declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), em decorrência da Infecção Humana pelo SARS-Cov2.
Em 06 de fevereiro, diante da relevância do surto e da Declaração da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional, é sancionada a lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus.
Em março de 2020, a Organização Mundial de Saúde declara a pandemia de Covid-19, diante de sua disseminação global. Ainda no mês de março, o Brasil declara a situação de transmissão comunitária em território nacional, a partir da publicação da portaria 454, de 20 de março de 2020.
Diante da situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional o Ministério da Saúde vem adotando medidas de enfrentamento do novo Coronavírus em conjunto com Estados e Municípios.
Dados de outros países mostram que 15% dos profissionais de saúde podem ser infectados pela Covid-19. A maior parte dessas pessoas irá desenvolver quadros leves. Mesmo assim, devem realizar isolamento domiciliar, cuidando da sua saúde e evitando a disseminação da Covid-19, especialmente para os grupos mais vulneráveis. Os profissionais de saúde também devem realizar isolamento quando forem contatos domiciliares de alguma pessoa sintomática. Sendo força de resposta essencial nesse momento, é importante que sejam adotadas medidas que mantenham a atuação dos profissionais de saúde e segurança, proteção efetiva das medidas de controle.
A realização de testes de detecção da Covid-19 permite o retorno precoce e seguro dos profissionais de saúde e de segurança ao trabalho, bem como a identificação precisa das pessoas de grupos de risco que realmente apresentam a infecção, para que medidas de isolamento, acompanhamento e intervenção sejam realizadas com maior adequação temporal.
Sendo assim, umas das ofertas de testagem é a adoção de testes rápidos como estratégia de contribuição para antecipação do retorno seguro ao trabalho de profissionais de saúde e outros segmentos essenciais, e também, para o acompanhamento mais específico para grupos mais vulneráveis. O Ministério da Saúde recebeu o quantitativo de 5 milhões de testes para esses públicos, que será entregue em diferentes etapas a iniciar nessa semana.
O Estado do Goiás/GO inicialmente receberá o quantitativo de 13.717 (treze mil setecentos e dezessete) testes, referente a entrega do primeiro lote de aquisição feito pelo Ministério da Saúde. O quantitativo por município será enviado nos próximos dias. Destaca-se que o CONASEMS já foi comunicado sobre o envio dos testes e sobre os critérios para definição do quantitativo para cada município.
Solicitamos que após receber os testes no estado, aguarde o posicionamento do Ministério da Saúde através de Nota Técnica Informava contendo orientações adequadas de utilização e público alvo para posterior distribuição aos municípios.


Via: Dia Online


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG