Últimas Notícias


quinta-feira, 7 de maio de 2020

Coronavírus: UTIs de Goiás podem chegar ao limite neste mês, projeta plataforma

Esta é a projeção de cenário da calculadora epidêmica da Plataforma IVIS, do Ministério da Saúde, que divulga dados e estimativas do novo coronavírus.

Foto: Reprodução



07/05/2020, 08h56



Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do estado de Goiás podem atingir sua capacidade máxima ao final deste mês, em razão das internação de pacientes com covid-19. Esta é a projeção de cenário da calculadora epidêmica da Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde (IVIS), do Ministério da Saúde, que divulga dados em tempo real e estimativas relacionadas ao novo coronavírus.
Conforme a calculadora epidêmica, com base nos dados disponíveis até agora, os leitos de UTI em Goiás devem lotar completamente no dia 29 de maio, sendo necessárias 2.560 adicionais. Já quanto aos leitos clínicos, estes devem lotar no dia 6 de junho, sendo necessários mais 3.005, segundo a calculadora.
Ainda segundo a calculadora epidêmica, a demanda por UTIs corresponde a 56,07 vezes o número de leitos de UTI dedicados à covid-19 e 3,51 vezes o número total de UTIs instaladas na região.

Quase 80% da população de Goiás será infectada pelo coronavírus em pior cenário, projeta plataforma

O modelo adotado na calculadora epidêmica da plataforma IVIS indica que 79,77% da população será infectada pelo vírus no pior dos cenários, mas apenas 14% destes desenvolverão sintomas visíveis.
A plataforma esclarece que modelos são simplificações da realidade e dependem fortemente de bons valores para os parâmetros baseados em dados. “As escolhas feitas aqui são baseadas no conhecimento científico atual sobre a epidemia, mas ainda são bastante incertas. No entanto, escolher valores absurdos para os parâmetros certamente criará previsões absurdas”, alerta.
Por fim, a plataforma explica que não há como antecipar “como estas comunidades irão responder à epidemia”, mas apenas oferece a opção de traçar diferentes cenários de resposta, e que a calculadora apenas produz cenários, e não previsões sobre o futuro.


Via: Dia Online

fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG