Últimas Notícias


quarta-feira, 17 de junho de 2020

MPF instaura inquérito que investiga medidas contra a covid-19 no Araguaia

De acordo com o órgão, o procedimento foi aberto em 4 de junho e vai verificar se as medidas estão sendo adotadas pelos municípios goianos de Aragarças, Aruanã e Britânia


Praia no Rio Araguaia, em Aruanã, Goiás (Foto: Reprodução/ Eduardo Vessoni)



16/06/2020, 08h33


Ministério Público Federal (MPF) instaurou recentemente um inquérito civil (IC) com o objetivo de acompanhar as medidas de implementação e fiscalização das normas e orientações técnicas do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) para o combate à covid-19 nas áreas públicas federais situadas à margem direita do Rio Araguaia (praias e terrenos marginais).
De acordo com o órgão, o procedimento foi aberto em 4 de junho e vai verificar se as medidas estão sendo adotadas pelos municípios goianos de Aragarças, Aruanã e Britânia, bem como pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU), no período de junho a agosto, época de temporada dos acampamentos de lazer, quando milhares de turistas se dirigem para a região.
Os três municípios são abrangidos nas atribuições territoriais da Procuradoria da República em Goiás, com sede em Goiânia.

MPF oficiou municípios para obter informações de ações tomadas contra aglomerações nas margens do Araguaia

Como primeiras providências, a procuradora da República Léa Batista, responsável pelo IC do MPF, oficiou ao estado de Goiás e aos três municípios, requisitando informações sobre as medidas que estão sendo tomadas para evitar aglomerações nos acampamentos às margens do Araguaia e apresentar, se for o caso, decisão administrativa acompanhada de estudo técnico que autorize o funcionamento desses acampamentos.
Os municípios deverão informar se a SPU delegou-lhes poder de autorizar o uso e ocupação de áreas públicas federais situadas às margens direita do rio, especialmente quanto à instalação de acampamentos.
Por fim, o MPF requisitou informações à SPU acerca do uso e ocupação das áreas federais, indicando se foram expedidas autorizações para 2020. Todas as informações deverão ser encaminhadas ao MPF no prazo máximo de 10 dias.
Vale ressaltar que de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela SES-GO, há 10.294 casos de doença pelo coronavírus (covid-19) no território goiano. Há 35.710 casos suspeitos em investigação, e outros 18.734 já foram descartados.

Via: Dia Online


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG