Últimas Notícias


quarta-feira, 24 de junho de 2020

Vendedores lotam ruas da 44 nesta quarta-feira (24); vídeo

Segundo decreto municipal, a região só poderá retomar o funcionamento no dia 30 de junho. AER44 afirma que multidão é composta por ambulantes; informal aponta para trabalho irregular de lojistas

(Foto: Reprodução)




Leicilane Tomazini
Do Mais Goiás | Em: 24/06/2020 às 10:59:56



Vendedores ambulantes lotaram ruas da Região da 44, em Goiânia, na manhã desta quarta-feira (24). Em um vídeo enviado por um leitor ao Mais Goiás, é possível ver várias pessoas, a maioria sem máscara, segurando sacolas com mercadorias. Na última terça-feira (23), parte do comércio da capital, como shoppings, camelódromos e galerias, reabriu. Entretanto, lojistas da 44, só podem retomar os trabalhos a partir do dia 30 de junho. Ambulante afirma que movimentação de pessoas, inclusive com aglomerações, ocorre na região há cerca de 2 meses.

Segundo a assessoria da Associação Empresarial da Região 44 (AER-44), as lojas da região permaneceram sem funcionar desde que o decreto estadual que determinou o fechamento do comércio entrou em vigor, no dia 17 de março. Apesar disso, os vendedores ambulantes continuaram com suas atividades no local, mesmo diante da restrição. O Mais Goiás também noticiou operações da Prefeitura de Goiânia para fiscalizar o trabalho irregular de logistas da região em duas oportunidades.

De acordo com representante de feirantes e ambulantes das região, Bia de Paula, lojistas também compõem a multidão percebida nesta quarta-feira.  “Estão atuando na frente das lojas, já que não podem abrir as portas ainda. Precisam pagar aluguel nas galerias e por isso recorreram a essa alternativa”, sublinha.



Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias) em



Bia reforça que a movimentação na região ocorre há cerca de dois meses, visto que informais enfrentam dificuldades financeiras. Segundo ela, parte deles não recebeu o auxílio emergencial do governo federal e também não foi contemplado com cestas básicas da prefeitura durante o período de inatividade. “Realizamos cadastro na Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), mas o benefício não foi concedido”.

Por isso, a ambulante afirma que a fiscalização realizada pelo Paço não consegue restringir a movimentação na região. “As lojas e galerias só ficaram fechadas, de fato, nos primeiros 30 dias, depois disso, a grande maioria voltou a funcionar. É muita gente, os fiscais não conseguem controlar”, finalizou.

Em nota a AER44 afirma que “mais do que nunca” é preciso que a prefeitura cumpra “sua obrigação legal de fiscalizar logradouros públicos da região” e realize a “retirada de ambulantes”. Ressaltou que lojistas retomaram atividades no dia 30, “de forma ordenada, segura e adotando medidas de segurança”.

O Mais Goiás aguarda nota da Prefeitura de Goiânia sobre a movimentação.


Via: Mais Goiás


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG