Últimas Notícias


quarta-feira, 1 de julho de 2020

Aparecida estuda uso das vans escolares no transporte coletivo

Medida seria adotada de forma excepcional durante pandemia da Covid-19. O assunto tem gerado polêmica nas esferas legislativas da capital e de Goiás

Uso das vans escolares está sendo avaliado. Foto: Assessoria Deputado Alysson Lima.




Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 01/07/2020 às 11:11:05


O uso das vans e ônibus escolares em Aparecida de Goiânia está sendo avaliado pelo Município como suporte ao transporte coletivo na cidade durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista ao Mais Goiás, o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) destacou que há estudos para viabilidade jurídica e técnica sobre o assunto. Trabalhadores do ramo estão com atividades paralisadas desde a interrupção das aulas presenciais ainda no mês de março e enfrentam dificuldades financeiras.

De acordo com o prefeito, o caso está sendo analisado inicialmente pela Procuradoria Geral do Município e explicou que o transporte coletivo tem sido um dos grandes vetores de transmissão do novo coronavírus. Por isso, há ainda a preocupação com a superlotação nos veículos. Mendanha não descarta até mesmo medidas mais rígidas para o setor, com o fechamento temporário dos terminais.

“Aparecida faz parte do transporte Metropolitano, mas estou com minha procuradoria estudando para que possamos utilizar as vans escolares que estão aí paradas. As empresas passam dificuldades, tenho ciência, já fui presidente da CDTC, mas neste momento de pandemia é importante reduzir o fluxo de pessoas nos terminais, nos ônibus. O uso das vans seria uma medida emergente neste momento que poderia contribuir, mas podemos culminar ainda no fechamento de terminais. Há uma preocupação de que daqui a pouco os leitos fiquem lotados e a gente não tenha condições de dar assistência às pessoas”, relatou.

Escolares

O prefeito destacou que caso haja a viabilidade jurídica, precisa ser criado um protocolo com indicativo de valor da tarifa, itinerários e distanciamento dentro dos veículos. Gustavo Mendanha reforçou a necessidade de reduzir o fluxo de pessoas no transporte público, principalmente no horário de pico.

“Teríamos que criar um protocolo, estabelecer taxas, regras para o distanciamento dentro das vans e ônibus. Com isso, poderíamos reduzir o número de pessoas no horário de pico nos veículos do transporte convencional. O contágio da doença é muito agressivo, estamos buscando alternativas para reduzir o alastramento. O pessoal da área de mobilidade está fazendo estudos, mas teríamos que criar protocolos, mecanismos e saber se, juridicamente, podemos fazer isso. O transporte tem sido um dos maiores vetores de contágio na região metropolitana”, explicou.

Polêmica

O uso de vans escolares durante a pandemia foi bastante polêmico no âmbito estadual. Houve intensa discussão na Assembleia Legislativa, mas que não evoluiu. Apenas uma linha de crédito foi liberada pelo Legislativo goiano em benefício da categoria. Na Câmara Municipal de Goiânia, o tema também entrou em pauta e está em análise.

Cenário Laranja

Aparecida está oficialmente no cenário laranja do combate à pandemia, ou seja, enfrenta um risco considerado alto. Nesta seara, cada macrozona deve fechar duas vezes por semana e todas devem permanecer fechadas aos sábados, a partir das 13h; aos domingos, estabelecimentos devem ficar fechados o dia inteiro. As regras valem a partir do próximo domingo (5/7).

Número de casos

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou 2.890 casos positivos na cidade. Outras 1.756 pessoas já estão curadas. No entanto, 1.083 contaminações referem-se a pessoas que estão neste momento com a doença, sendo que 1.034 estão em isolamento domiciliar. Outras 49 pessoas estão hospitalizadas. Quatro óbitos estão em investigação e 47 já foram confirmados.


Via: Mais Goiás


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG