Últimas Notícias


segunda-feira, 27 de julho de 2020

Roubo de veículos cai quase 40% no 1º semestre de 2020

A média de roubos por dia, no Estado, passou de 33 veículos, em 2018, para oito, em 2020. Integração das forças policiais goianas é um dos diferenciais que contribuíram para a queda dos índices de criminalidade



A redução é bem expressiva: 38,29% de casos a menos. É o que aponta o Observatório de Segurança Pública em relação aos números de roubos de veículos no Estado, quando se compara o primeiro semestre de 2019 e de 2020. A queda em ocorrências dessa natureza já vinha sendo observada durante todo ano de 2019, confrontado com os indicadores de 2018. Essa modalidade criminosa vem caindo os 18 meses da atual gestão consecutivamente.

Fazendo uma análise nos números do primeiro semestre dos últimos três anos, a redução fica ainda mais latente. A quantidade média de roubos de veículos por dia segue uma linha descendente: de 33 (2018) para 13 (2019) e, conforme divulgado recentemente pelo Governo de Goiás, esse número médio de registros por dia caiu para oito em 2020. Se compararmos a média diária de 2018 com a média diária de 2020, em igual período (um semestre), o índice alcança a marca de 75% de decréscimo nas ocorrências.

Titular da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) desde novembro de 2018, Gustavo Rigo é direto ao assinalar a razão pela qual hoje o cidadão goiano se sente mais seguro: integração entre todas as forças policiais no Estado. “Com o patrulhamento da PM, que tem mais capilaridade nas ruas, e com o compartilhamento dessas informações para a Polícia Civil, temos conseguido ótimos resultados no combate à criminalidade”, explica.

E é exatamente por isso que os serviços operacionais e de planejamento estratégico não dão mais sossego aos bandidos em Goiás, inclusive, às grandes organizações criminosas. A operação “Sétimo Selo”, deflagrada em maio do ano passado (imagem que abre esta reportagem), tem números robustos que exemplificam a eficiência dessa política de integração, cobrada pelo governador Ronaldo Caiado e pelo secretário de Segurança Pública (SSP-GO), Rodney Miranda.

Na ação, as Polícias Civil e Militar desarticularam uma grande quadrilha responsável pelo roubo de carros de luxo, no Estado, há pelo menos 20 anos. Isso mesmo, você não leu errado, praticamente duas décadas de crime. Dezessete pessoas foram presas, e 51 imóveis e R$ 40 milhões, bloqueados. As investigações, que duraram dois meses, revelaram que o grupo também atuava com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Outra operação que tem contribuído, de forma sistemática, para a redução no número de roubos de carros e motos, principalmente na Região Metropolitana de Goiânia, é a que direciona o trabalho para a Vila Canaã (imagem abaixo). Várias incursões ao local têm afastado os “falsos comerciantes” – não são todos, mas há –  que atuam na região, vendendo peças de veículos desmanchados.

O delegado Gustavo Rigo destaca que o fato de a polícia goiana focar, não somente nos roubadores – mas, também, nos receptadores, adulteradores e nas pessoas que falsificam os documentos dos veículos –, “quebra a engrenagem da cadeia do crime”. “Se afastamos e prendemos os receptadores, não há procura; e, sem procura, não há oferta, não há por que roubar, considerando-se ainda que o roubo é uma atividade de grande risco”, assegurou o delegado.

O tenente-coronel Benito Franco, comandante do Batalhão das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) da Polícia Militar de Goiás (PMGO) contempla da mesma perspectiva: a integração entre as forças de Segurança é um elemento fundamental na representação dos números positivos que indicam a queda de criminalidade. O comandante explicou que outro fator importante, além do trabalho integrado, são as ações do policiamento ostensivo.

“Usando essa liberdade que o governo tem nos dado para trabalhar, tendo como único limite a lei, nós começamos a retirar das ruas, cada vez mais, uma das principais ferramentas do bandido, que é a arma. Com isso, muitos já se intimidam. Além disso, temos combatido todas as fases que compõem os roubos de carro: os criminosos que roubam, os que buscam o veículo, e as associações receptadoras, conhecidos como desmanches”, afirmou o tenente-coronel.

O comandante do Batalhão de Rotam acrescentou que as ações que resultam na recaptura de foragidos têm aumentado, e que as prisões efetivas ou preventivas realizadas após as operações têm colaborado, junto às polícias, para a redução da criminalidade. O tenente-coronel Franco concluiu, avaliando os números, que a tendência na redução de crimes, principalmente no roubo de carros, deve se manter em função do excepcional trabalho que vem sendo realizado pelas forças de segurança e Goiás.

Crédito das imagens: Site da SSPGO

Secretaria de Comunicação - Governo de Goiás


Via: Governo de Goiás


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG