Últimas Notícias


sexta-feira, 24 de julho de 2020

Tradicional transferência da capital do Estado para Goiás é cancelada

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Caiado afirma que "as pessoas compreendem" a situação e que, no ano que vem, fará "uma festa redobrada".

Foto: Youtube




24/07/2020, 09h40



O governador Ronaldo Caiado anunciou, na noite da última quinta-feira (24/7), que o tradicional evento de transferência da capital do Estado para a Cidade de Goiás, em comemoração ao aniversário do município, foi cancelado em razão da pandemia do novo coronavírus. Em um vídeo, Caiado prometeu para o ano que vem uma “festa redobrada”.
Anualmente, durante os dias 25 e 26 de julho (podendo se estender até o dia 27) a Cidade de Goiás se transforma oficialmente na capital do Estado em comemoração ao seu aniversário. O município, localizado na região Central do estado, foi a capital até a década de 1930 e durante as comemorações de seu aniversário recebe simbolicamente as sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
Neste ano, o município completa 293 anos, mas por causa do vírus causador da covid-19, o evento foi cancelado. “No próximo sábado, nossa querida Cidade de Goiás completa 293 anos! E, como vocês sabem, era chegada a hora de transferirmos toda a estrutura de Governo para esta que já foi a capital, nossa antiga Vila Boa. Infelizmente, em virtude da pandemia, cancelamos o evento”, informou Caiado pelo Twitter.

Em um vídeo, o governador diz ainda que tem a compreensão do povo vilaboense e que, no ano que vem, fará “uma festa redobrada para comemorar o ano atual e o de 2021”.

Além da transferência da capital do Estado, outro importante evento cancelado foi a Romaria do Divino Pai Eterno

Também por conta da pandemia do coronavírus, a Romaria do Divino Pai Eterno 2020 de Trindade foi oficialmente cancelada em maio, inclusive na forma virtual. O reitor do Santuário, padre Robson de Oliveira, acolheu recomendação do Ministério Público Estadual (MP-GO) para cancelar a festividade.
No pedido feito à época, o promotor de Justiça Francisco Bandeira de Carvalho Melo, justificou que mesmo que as cerimônias fossem realizadas à distância, o evento poderia atrair fiéis que insistissem em presenciar a romaria, o que poderia causar aglomeração na cidade de Trindade.


Via: Dia Online


fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG