Últimas Notícias


sábado, 13 de março de 2021

Decreto de Goiânia determina fechamento de atividades não essenciais por 14 dias

De acordo com o novo documento, supermercados e congêneres só poderão vender alimentos, bebidas, produtos de higiene, saúde e limpeza.


Foto: CESAR LOPES/PMPA/JC


Foi publicado na tarde deste sábado (13/3) o decreto de Goiânia que determina o fechamento de atividades não essenciais por 14 dias, seguidos por 14 dias de funcionamento, sucessivamente. O documento entra em vigor na próxima segunda-feira (14/3), como medida obrigatória de enfrentamento de emergência de saúde pública decorrente da pandemia da Covid-19, provocada pelo SARS-CoV-2 e suas variantes.


De acordo com o novo documento, supermercados e congêneres só poderão vender alimentos, bebidas, produtos de higiene, saúde e limpeza, ficando expressamente vedado o consumo de gêneros alimentícios e bebidas no local. Além disso, também só é permitida a entrada de uma pessoa do mesmo núcleo familiar, exceto nos casos em que é necessário acompanhamento especial. Lojas de conveniência não podem funcionar.


Já hotéis, pousadas e correlatos, podem funcionar, desde que respeitem o limite de 65% da capacidade de acomodação, ficando autorizado o uso de restaurantes exclusivamente para os hóspedes.


No caso de instituições religiosas, só serão permitidos atendimentos individualizados previamente agendados, ficando vedada a realização de missas, cultos, celebrações e reuniões coletivas similares. 


Decreto de Goiânia libera funcionamento de restaurantes em drivre-thru e pegue/leve

O novo documento ainda determina que restaurantes e lanchonetes, podem funcionar exclusivamente nas modalidades delivery, drive-thru e pegue/leve, nesta última as mercadorias devem ser entregues exclusivamente fora do estabelecimento, sendo uma pessoa por vez, evitando aglomerações ou filas.


Durante reunião virtual neste sábado (13/3), o secretário municipal de Saúde, Durval Pedroso, apresentou números e alertou para a gravidade do momento. “A situação é calamitosa, enfrentamos dificuldade em vagas, uma vez que existe limite físico e humano para abertura de leitos.” O gestor da pasta ressaltou ainda que a saúde municipal conseguiu abrir um credenciamento emergencial em tempo mínimo, recebendo, em três dias, 7 mil pessoas e já tem mais de 350 credenciadas.


O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, defendeu medidas mais duras para o enfrentamento da pandemia em Goiânia e voltou a reafirmar que a abertura de mais leitos não é a única que soluciona a crise sanitária. “Compreendemos a gravidade do momento em que Goiânia e Goiás vivem mas, como eu tenho dito, a simples abertura de leitos não é garantia de sobrevivência. Estamos empenhados em vencer esta pandemia com a participação de todos”, afirmou o prefeito.


Confira o documento na íntegra aqui


Fonte: Dia Online



fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG fixImgOG